Nuclehum Nuclehum Nuclehum Nuclehum Nuclehum Nuclehum
Cirurgia de Obesidade Mórbida - Dr. Hamilton Luis Xavier Funes

 

OBESIDADE

 

 

                Obesidade é uma doença crônica com diversas e complexas causas, podendo-se citar fatores genéticos, ambientais, comportamentais. É o distúrbio nutricional mais comum no mundo. Nos EUA pesquisas consideram a obesidade a segunda causa evitável de morte, depois do tabagismo.

                Ser obeso é estar acima do peso considerado ideal (tab I), e ser obeso mórbido é estar 45 Kg acima desse peso. O peso ideal pode ser definido pelo índice de massa corpora (IMC), que relaciona a altura e o peso do indivíduo segundo o calculo :     IMC =  peso    

    (ver tab II)                                                                  alt 2

 

 

     

TABELA I – Peso “Ideal”

 

TABELA II – Tabela de Classificação de Peso segundo o IMC

 

IMC (Kg/m2 )               Classificação

  <    20                              magro

20 – 25                   faixa de peso ideal

25 – 30                         sobrepeso

30 – 35                  obesidade moderada

35 – 40                  obesidade importante

40 – 50                    obesidade mórbida

>    50                         superobesidade

      Segundo a OMS, a obesidade se tornou um problema gravíssimo no mundo. Em pesquisa divulgada pelo Instituto Harris, 80 % das pessoas acima de 25 anos de idade estão acima do peso, levando se em conta seu IMC. Trinta porcento do norte americanos adultos estão 20 % acima do peso.

      O sobrepeso e a obesidade causam cerca de 300.000 mortes prematuras por ano e custam aos EUA U$ 117 bilhões por ano. No Brasil em torno de 20% são obesos e 5 a 10 % são portadores de obesidade mórbida (+ 2.000.000).

      A obesidade acarreta o aumento de inúmeras doenças crônicas como:

- Diabetes tipo II àelevação da glicose no sangue

- Hipertensão Arterial àelevação da pressão arterial

- Infarto Agudo do Miocárdio

- Insuficiência Cardíaca

- Elevação do colesterol e triglicérides

- Inflamação das articulações

- Problemas respiratórios àafeia do sono

- Aumento de gordura no fígado e pâncreas

- Pancreatite aguda

- Pedras na vesícula

- Edema de MMII por estase venosa

- Varizes em MMII

- Azia e queimação no estômago

- Derrames

- Irregularidade menstrual e infertilidade

- Impotência visual

- Risco de morte aumentado

Não são só os problemas médicos, relacionados com a obesidade.Existem também outras situações, como problemas sociais, de relacionamento na família , com amigos ou no  trabalho, alem de ambientais,como locais não adaptados para os obesos,tais como às poltronas de diversos locais. Existem problemas relacionados com a higiene pessoais, psicológicos, econômicos e preconceitos contra o obeso que o prejudicam até para conseguir emprego.

     O tratamento clinico da obesidade é difícil, pois além do objetivo de emagrecer é necessária a manutenção do peso, nem sempre possível para a grande maioria dos obesos, principalmente os obesos mórbidos. À luz de uma nova visão, o tratamento clinico deve alcançar um peso saudável, sem ser necessariamente o peso ideal, pois os benefícios nas doenças associadas se tornam evidentes, quando, a redução de peso alcança de em torno de 10% do peso inicial, principalmente na hipertensão arterial e diabetes tipo 2. Embora com conceitos novos os tratamentos conservadores, medicamentosos, associados com dietas, tratamentos de apoio e também exercícios físicos podem ser ineficientes em longo prazo.Na obesidade mórbida o tratamento cirúrgico. Quando bem indicado, é o único método que consegue o objetivo de emagrecer e manter o peso por um período prolongado com melhora significativa das doenças associadas, na qualidade de vida, bem estar social e psicológico.

    Para se entender melhor as cirurgias de controle de peso é importante se entender como funciona o aparelho digestivo, que nada mais é do que uma usina, aonde os alimentos, sucos digestivos e enzimas se juntam para permitir a digestão e absorção apropriada de nutrientes, como as proteínas, tão importantes, por exemplo, na formação da musculatura do homem.Os nutrientes também fornecem matéria prima para produção de energia que põe em funcionamento todo organismo humano.A digestão e absorção dos nutrientes é feita no tubo digestivo, formado pelo esôfago, estomago, duodeno, intestino delgado e intestino grosso, com auxilio também de enzimas produzidas no fígado e pâncreas (fig 1).

 As técnicas cirúrgicas atuam ou impedindo a ingestão de grandes quantidades de alimentos ou diminuindo a sua absorção no tubo digestivo ou combinando as duas técnicas.De uma maneira normal os alimentos são ingeridos, deglutidos, encaminhados pelo esôfago ao estomago para sofrerem ação do suco gástrico. Em seguida passam para o intestino aonde sofrem ação da bile e suco pancreático se preparando em conjunto com as secreções intestinais para a absorção.As cirurgias para tratamento da obesidade nada mais fazem então do que interferir no processo da digestão

O tratamento cirúrgico da obesidade mórbida vem procurando há décadas, um procedimento seguro, eficiente e bem tolerado pelos pacientes.A dedicação de cirurgiões e pesquisadores tem proporcionado, desde esse período, evoluções significativas no entendimento da doença obesidade mórbida, em busca de melhores técnicas.A primeira operação realizada para o tratamento da obesidade mórbida, foi o bypass (desvio) intestinal, (fig.2)

Baseado na redução de aproveitamento dos alimentos ingeridos, criando um grave defeito disabsortivo, excluindo grande parte do intestino delgado. Foi pela primeira vez testada em animais de laboratório em 1954 por Kremen e Linner.Esse procedimento foi amplamente divulgado na década de 1960 e popularizado por Payne e DeWind.Os estudos continuaram e as técnicas foram sendo criadas e melhoradas.Cirurgiões como Mason, Miller e outros foram incansáveis em seus estudos, criando as cirurgias restritivas (fig.3).

 Mrceau, Scopinaro, DeMester, (fig.4)

Criaram diferentes técnicas de derivação, que diminuem o contato dos alimentos com enzimas digestivas hepato duodenais e pancreáticas.Capella e Fobi desenvolveram o bypass gástrico em y de Roux (fig.5), por volta de 1990, cirurgia considerada como padrão ouro no controle da obesidade mórbida. Os primeiros procedimentos com a bandagem gástrica ajustada, (fig. 6)

  Começaram com Kuzmak e 1991 se iniciou a realização deste procedimento por vídeo laparoscopia, as bandas são de vários modelos e tem sido usada em maior escala na Europa. Sua indicação deve seguir os critérios habituais para cirurgia do obeso mórbido e ser realizado por um cirurgião também treinado em vídeo cirurgia.

A idéia de se ocupar uma parte do estomago com uma prótese (balão intragástrico) e assim produzir sensação de saciedade precoce, foi primeiramente descrito por volta de 1982.Os primeiros balões utilizados tiveram seu uso pouco difundido por complicação ocorrida por culpa do material utilizados nos mesmos.

 

         

 

                                                                                                                                                                                                                                                                           

No final dos anos 80, foi  desenvolvido o balão intragástrico usados nos dias de hoje (Fig. 7), feito de material resistente e durável alem de outra característica que o tornaram

 seguro e eficiente quando bem indicado em seu uso. Esse procedimento é realizado por endoscopia digestiva e deve ser indicado para pacientes super obeso em preparo para cirurgia definitiva. Deve ser retirado ou trocado em no maximo a cada seis meses por devido ao risco de perfuração do balão por desgaste progressivo. Promove uma perda inferior a 20% do excesso de peso.

Resumindo, hoje nos podemos contar para tratamento cirúrgico da obesidade mórbida, com procedimento cirúrgico restritivos (banda, balão, e cirurgia de Mason), procedimentos cirúrgicos disabsortivos ( cir. Scopinaro) e cirurgias combinadas (cir.Capella).Todos esses procedimentos podem ser feitos por laparotomia ou por laparoscopia (fig. 8).

 

 

        As cirurgias aqui apresentadas oferecem benefícios aos pacientes, quando bem indicada e bem realizadas. O índice de mortalidade descrito na literatura medica se mostra em torno de 0,5% , devido a complicações cirúrgicas tais como fistula digestiva (vazamentos) e embolia pulmonar. Cada procedimento tem suas vantagem, desvantagem e complicações (tab. 3). 

É necessária uma boa avaliação por um profissional treinado em cirurgia bariatrica para definir o melhor procedimento cirúrgico para cada paciente. Antes da operação é necessário um preparo pré-operatório completo, com avaliação de uma equipe multe disciplinar formada por médicos, psicólogos,  e nutricionistas, e vários exames complementares (ex: endoscopia, ultra som).

 No pós-operatório o paciente permanece por 24 horas na UTI em torno de três dias no hospital voltando habitualmente a suas atividades em torno  de 15 dias. Durante 30 dias é orientado a se alimentar somente com liquido e semiliquido. Deve ser acompanhado pela equipe multe disciplinar por pelo menos dois anos com exames periódicos para corrigir, se necessário, alterações com anemia, baixa de proteína quando existirem.

 

 

Dr Hamilton Funes

Especialista em cirurgia

P/obesidade mórbida

Av. Francisco Chagas de Oliveira 555

São José do Rio Preto SP

Tel.(17)2261392

Endocrinologia

O que é Endocrinologia?



É a especialidade médica que cuida das desordens das glândulas endócrinas, isso é, as que produzem hormônios.


Acupuntura

O que é Acupuntura ?



A acupuntura consiste na aplicação de agulhas, em pontos definidos do corpo, chamados de "Pontos de Acupuntura" ou "Acupontos", para obter efeito terapêutico em diversas condições.


Cirurgia Geral

Em que consiste a Cirugia Geral ?



Esta especialidade médica ocupa-se do estudo dos mecanismo fisiopatológicos, diagnóstico e tratamento de enfermidades passíveis de abordagem por procedimentos cirúrgicos.


Psiquiatria

O que é Psiquiatria ?



Psiquiatria é uma especialidade da Medicina que lida com a prevenção, atendimento, diagnóstico, tratamento e reabilitação das diferentes formas de sofrimentos mentais, sejam elas de cunho orgânico ou funcional, com manifestações psicológicas severas. São exemplos: a depressão, o transtorno bipolar, a esquizofrenia, a demência e os transtornos de ansiedade.